“Será que Jesus Cristo quer que jovens abusados sexualmente por servos Dele permaneçam o resto das suas vidas escondidos, carregando seus traumas entre sombras e cavernas?

Será que Jesus Cristo quer que crianças, que foram roubadas de seus lares, enganadas, atraídas por uma ‘formação ilusória’, tirem a própria vida por não aguentarem o peso da aniquilação moral e espiritual à qual foram submetidas durante anos?

Será mesmo que Jesus Cristo aprova uma Igreja construída sobre o fundamento da corrupção, da enganação, de líderes loucos dispostos a tudo com tal de arrecadar dinheiro e terem uma vida de luxo, enquanto suas vítimas comem, literalmente, o pão que o diabo amassou?

O Vaticano disse que reformou a Congregação dos Legionários de Cristo. Sim. O Vaticano colocou até comissários na Legião de Cristo, assim como está fazendo com outros grupos, mas qual foi o resultado? Mudaram coisas acidentais, regrinhas bobas… agora os legionários podem ter barba, podem até ter um celular… Mas, e os milhares de ex-legionários, que durante 70 anos foram sendo moídos por essa fábrica de destruição psicológica e espiritual? Nenhuma palavra, nenhuma ajuda, é como se eles não existissem. Quem escreve esse texto passou 15 anos prisioneiro nessa ordem, de 1996 a 2011. Nem faz tanto tempo assim que me libertei. Pois é. Encontro direto em minha cidade eclesiásticos e leigos que o único que trazem em seus lábios é que a Legião de Cristo foi reformada e que eu não devo persistir em “meus ódios”. Ou seja, o Vaticano passou um pano na congregação à custa das milhares de vítimas, inclusive aquele jovem que há não mais de um mês tirou a própria vida em Curitiba, por não aguentar o peso psicoloǵico de ter sido legionário de cristo.

Mas, os padres são lindos, as atividades deles são maravilhosas…. por que “persegui-los”?

Eu não chamaria de perseguição. Sejamos sinceros: a única reforma possível é quando se reconhece o papel das inúmeras vítimas e não essa reforma que a Santa Sé está acostumada a fazer: passar um pano no passado, mudar uma ou outra regrinha e abandonar todas as vítimas do grupo. É desumano, é anticristão.

Por isso mesmo que estou convencido que a única língua que padres e bispos malvados entendem é a Justiça, o Ministério Público, os Tribunais. Nem da opinião pública eles têm medo. É necessário processar, requerer os direitos, não esperar que as instituições eclesiásticas façam sua parte para poder entrar na justiça. É a única forma de parar com essas máquinas de moer pessoa e de, inclusive, ajudar no processo de cura interior das vítimas silenciadas.

“Não é cristão processar?” Como assim? Jesus é o Juiz verdadeiro, mas não retira das autoridades públicas o seu papel de julgar os homens e mulheres maus. A Deus o que é de Deus, a César o que é de César.

Vítimas de grupos católicos loucos, não desistam de perseguir os seus direitos. Não se permitam passar o resto das suas vidas escondidas, na escuridão, sofrendo e chorando sozinhas. Não se permitam carregar os crimes de outros. Não se sintam culpadas por esses criminosos psicopatas que abusaram e roubaram a sua juventude. Encham os tribunais civis de processos. Abusar de crianças não pode ser o normal em nossa Igreja. Ser sacerdote e bispo que oculta o mal não pode ser o normal em nossa Igreja. A existência de grupos fechados, secretos, com rituais ocultos, não pode ser o normal em nossa Igreja.

E só tem um caminho: orar, confiar, denunciar. Fazer tudo como se dependesse só de nós mesmos, confiando e sabendo que tudo, absolutamente tudo, depende do Alto.”

THIAGO ALMEIDA
EX – LEGIONÁRIO DE CRISTO