A associação, reconhecida por João Paulo II em 2001, está sob investigação desde 2007 por supostas irregularidades em sua administração e na vida de alguns de seus membros.

ARTIGO ORIGINAL https://www.elmundo.es/internacional/2019/09/28/5d8fc3f521efa06f308b464c.html#

“A associação internacional Arautos do Evangelho , reconhecida pelo Vaticano e suspeita de realizar exorcismos e manobras estranhas nas costas do Papa Francisco, foi colocada sob tutela pontifical por “deficiências relacionadas ao seu governo” e “ao estilo de vida de alguns de seus membros. “, conforme relatado pela Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica.

Os Arautos do Evangelho são uma associação internacional de fiéis à lei pontifícia, presentes em mais de 70 países – incluindo a Espanha – que são reconhecidos por usar um hábito marrom e branco com uma grande cruz no peito semelhante à dos cavaleiros medievais . Foi fundada pelo monsenhor João Scognamiglio Clá Dias , ex-membro da associação católica tradicionalista e contra-revolucionária TFP (Tradição, Família e Propriedade). A TFP sofreu uma cisão e de um de seus ramos emergiram os Arautos do Evangelho, que agem de forma totalmente autônoma.

A associação, reconhecida por João Paulo II em 2001, está sob investigação desde 2017 por supostas irregularidades em sua administração e na vida de alguns de seus membros. Em junho do mesmo ano, a Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, juntamente com o Dicastério para os Leigos, Família e Vida, fez uma visita apostólica à associação da qual também faz parte a sociedade da vida. O clérigo apostólico ‘Virgo Flos Carmeli’ e a sociedade de vida apostólica feminina ‘Regina Virginum’ , também intervieram pela Santa Sé.

A investigação revelou uma série de “deficiências no estilo de governo, na vida dos membros do Conselho, no ministério vocacional, na formação de novas vocações, na administração, na administração de obras e na administração de recursos” , de acordo com a Santa Sé através de um artigo publicado no portal Vatican News e divulgado pela Assessoria de Imprensa do Vaticano.

Algumas informações publicadas em 2017 garantiram que o Vaticano estava investigando “cultos antigos estranhos” e exorcismos praticados invocando o nome do bispo Scognamiglio Clá Dias feito por membros relevantes da associação. Pouco depois, foi transmitido o vídeo de uma reunião entre padres dos Arautos do Evangelho e seu fundador, durante a qual se lê um alegado diálogo entre um padre da associação e um demônio durante um exorcismo.

Durante o ritual, realizado usando uma fórmula não aprovada pela Igreja, o suposto demônio atribui poderes excepcionais ao falecido Plinio Correa de Oliveira , fundador da Tradição, Família e Propriedade (TFP), a associação da qual emergiram os Arautos do Evangelho, como a capacidade de aumentar a temperatura do planeta ou causar a queda de um meteorito na América do Norte.

Em outro momento de exorcismo, o padre pergunta ao suposto demônio sobre o pontífice e responde que “o Papa Francisco morrerá caindo” e que Plinio Correa de Oliveira “está incentivando a morte” do papa. Uma declaração à qual os padres presentes na reunião exclamam “fenomenal!” enquanto monsenhor Clá Dias sorri. O fundador dos Arautos do Evangelho renunciou à presidência em junho de 2017.

Depois de conhecer as conclusões da investigação, a Congregação para os Institutos de Vida Consagrada, depois de obter a aprovação do Papa, nomeou comissário papal da associação ao Cardeal Raymundo Damasceno Assis , arcebispo emérito de Aparecida (Brasil).”