Belas palavaras proferidas por Nossa Senhora em Fátima. O que elas significam? Quem pode nos ajudar a entênde-las?

Em matéria de aparições, somente a Igreja tem a autoridade para o significado das revelações privadas. Assim, a Igreja católica tem a última palavra em toda e qualquer explicações a respeito das aparições de Nossa Senhora.

http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000626_message-fatima_po.html

Vejamos o que a Congregação pele doutrina da Fé publicou em 1999, assinado pelo então cardeal Ratzinger (futuro Bento XVI) sobre o significado das palavras de Nossa Senhora em Fátima:

Chegamos assim a uma última pergunta:

“O que é que significa no seu conjunto (nas suas três partes) o «segredo» de Fátima? O que é nos diz a nós? Em primeiro lugar, devemos supor, como afirma o Cardeal Sodano, que «os acontecimentos a que faz referência a terceira parte do “segredo” de Fátima parecem pertencer já ao passado». Os diversos acontecimentos, na medida em que lá são representados, pertencem já ao passado. Quem estava à espera de impressionantes revelações apocalípticas sobre o fim do mundo ou sobre o futuro desenrolar da história, deve ficar desiludido.

Fátima não oferece tais satisfações à nossa curiosidade, como, aliás, a fé cristã em geral que não pretende nem pode ser alimento para a nossa curiosidade. O que permanece – dissemo-lo logo ao início das nossas reflexões sobre o texto do «segredo» – é a exortação à oração como caminho para a «salvação das almas», e no mesmo sentido o apelo à penitência e à conversão.

Queria, no fim, tomar uma vez mais outra palavra-chave do «segredo» que justamente se tornou famosa: «O meu Imaculado Coração triunfará». Que significa isto? Significa que este Coração aberto a Deus, purificado pela contemplação de Deus, é mais forte que as pistolas ou outras armas de qualquer espécie. O fiat de Maria, a palavra do seu Coração, mudou a história do mundo, porque introduziu neste mundo o Salvador: graças àquele «Sim», Deus pôde fazer-Se homem no nosso meio e tal permanece para sempre. Que o maligno tem poder neste mundo, vemo-lo e experimentamo-lo continuamente; tem poder, porque a nossa liberdade se deixa continuamente desviar de Deus. Mas, desde que Deus passou a ter um coração humano e deste modo orientou a liberdade do homem para o bem, para Deus, a liberdade para o mal deixou de ter a última palavra.

O que vale desde então, está expresso nesta frase:

«No mundo tereis aflições, mas tende confiança! Eu venci o mundo» (Jo 16, 33). A mensagem de Fátima convida a confiar nesta promessa.

Joseph Card. Ratzinger
Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé

Toda a filosofia interna dos Arautos do Evangelho está baseada nas interpretações da mensagem de Fátima feitas por Plínio Correa de Oliveira.
Fica claro que os Arautos não estão em comunhão plena com a Igreja no sentido a dar à mensagem de Nossa Senhora de Fátima.

Bagarre, vitória, Reino de Maria: invenções de um grupo que não tem autoridade para interpretar a mensagem de Fátima.