“Minha filha foi levada para convivência na casa dos Arautos feminino de nome Cenáculo e teve uma experiência das piores possíveis, além de ter sido maltratada pelas superioras. Que fazem vistoria nos pertences de todas que lá se instalam e retiram das meninas tudo que lembre a família, ainda dizem que se contar para os pais vão para o inferno! Usam de meios para diminuir o contato com os pais, não deixando que usem celulares, vigiando na extensão do telefone da casa, para ouvir o que é falado com familiares.

Ainda as fazem de escravas, fazendo servir mesa, lavar e limpar. Não deixam um momento sequer de descanso para as crianças que estão ali. Nas celas como é chamado os quartos que são divididos entre 3 a 6 meninas, tem escala para banho, são obrigadas a tomar banho apenas uma vez ao dia e pela manhã, tendo-se apenas 25 minutos para banhar-se, vestir-se e arrumar os cabelos daquela forma horrorosa que usam. Totalmente cheio de Gel e dividido na lateral com rabo de cavalo bem curto. Já começam acabando com os cabelos das meninas, cortando bem curto, para que fiquem com pouco volume na hora de pentear.

Não deixam tomar dois banhos nem quando estão nos dias de regras femininas, são obrigadas a dormirem sujas, mesmo que estejam suadas ou cheias de poluição de São Paulo. Engambelam os pais com a casa bonita, com comida boa e suas vestes bem passadas e depois que conseguem suas filhas, mostram o que são na realidade. Pessoas treinadas e com a mente lavadas para adorar seus ídolos Lucília, Plínio e João Cla.

Minha filha ainda contou que no dia que tiveram visitas de um Cardeal da Igreja Católica e dos pais, as irmãs pareciam loucas correndo pelo corredor e adentrando nas celas para retirar todos os quadros dos três ídolos, e esconde-los no sótão, logo após substituia por quadros de Nossa Senhora que estavam guardados. Minha filha disse que nenhuma das meninas entenderam o porque da correria na mesma hora, porém após as visitas começaram a ouvir das irmãs que não era para contar aos pais o que tinham visto e nem que tinham trocado os quadros. O Vaticano deveria mandar alguém para vistoriar sem prévio aviso, na surdina mesmo, pois aí sim não teriam tempo de trocarem os quadros de seus ídolos. Elas não passam de adoradoras dessas três pessoas e ainda tem coragem de dizer que se alguma das meninas saíssem de lá ou contassem o que lá se passava que todas queimaram no inferno.

Gostaria muito que todos os pais enxergassem o que acontece com seus filhos e filhas antes que seja tarde demais. Antes que tenham perdido seus filhos para essa seita.