Infelizmente também fui uma integrante dos arautos. Fiquei 2 anos e meio lá dentro, entrei com apenas 10 anos e achei aquilo magnífico.

Certo dia estava no Projeto Futuro e Vida e perguntei à uma irmã o que era a “bagarre” e ela me contou e mandou eu não falar nada para os meus pais. Depois de 3 meses me chamaram para morar lá.

Tudo falavam de Monsenhor exatamente tudo até uma comida elas colocavam o nome de Monsenhor. Vi muitas vezes elas chegarem para ex arautas e tratarem como um amor e depois chamarem de demônios. Depois de um tempo toquei no assunto de sair de lá e na mesma hora uma irmã chegou e falou: “QUEM SAI VIRA DEMÔNIO”. Eu toquei em um assunto com a minha mãe e ela falou na sede, depois disso elas falaram que iam me mandar para São Paulo devido o ocorrido, mas como eu sempre fui muito agarrada com a minha mãe falei que não conseguiria ir nisso elas falaram que se eu não fosse eu iria ser eternamente castigada por monsenhor. Fiquei traumatizada depois disso!

Minha mãe me tirou devido à eu passar muito mal e chorar muito. Uma vez que eu passei mal elas me falaram para não ir no medico e rezar para Lucília (mãe do Plínio). Quando minha mãe me tirou, lembrei que elas falaram que monsenhor iria me amaldiçoar, fiquei em depressão e minha mãe me levou ao psicólogo. Até hoje vou ao psicológico e até hoje me ligam pedindo para eu voltar e sempre perguntam se eu falei algo delas com a minha mãe.

Por favor NÃO deixem suas filhas lá!!! Vocês acham que elas estão guardadas. Os Arautos usam o nome de Deus para fazer o mal vocês não sabem o que sentimos lá. Traumatizam suas filhas cada dia que passa, idolatram monsenhor e tentam tirar suas filhas.


Relatos de uma menina traumatizada pelas arautas.