01 JUNHO DE 2019

Confrontos no Vaticano: Os inimigos do Papa Bergoglio (Papa Francisco) põem as mãos em doações à Nossa Senhora de Fátima

“As doações a Nossa Senhora de Fátima realmente enriquecem a congregação brasileira, já sob investigação do Vaticano, que é inimiga do Papa Bergoglio. É a verdade escondida entre as linhas e as orações contidas na pequena carta que milhões de italianos recebem em casa há anos da “Associazione Madonna di Fatima Maria Stella Nuova Evangelizzazione” de Mira (Ve).

No envelope o destinatário encontra, além da foto da estátua de Nossa Senhora de Fátima com um coração vermelho nas mãos em formato A4, também um “cartão de fidelidade” personalizado, uma medalha da Virgem (também personalizada) e o inevitável boletim postal a dar. Mas os “benefícios” variam (todos podem ser comprados por cartão de crédito no site https://www.madonnadifatima.org/13-materiali) dependendo do período e anos: alguns foram premiados com uma coroa de rosário de madeira, outros com um folheto de meditação, outros ainda uma folha A4 com impresso dentro do coração que a Virgem tem no peito, o nome de um parente acabou de falecer para uma vida melhor.

Agora, imagine uma mulher idosa, viúva há alguns dias, que vê a imagem de Nossa Senhora de Fátima entregue, segurando na mão o nome do seu ente querido, joga fora? Ou fica com ele e faz uma oferta (recomendado 10, 20 euros, mais ainda mais, ok). A segunda hipótese é mais fácil. A nossa avó podia também ser atraída pela possibilidade – sempre mediante pagamento – de acolher na sua casa a estátua da Virgem, levada pelos braços para uma breve visita à sala e à cozinha pelos seguidores da Congregação dos Arautos do Evangelho (o que eles são? veremos em poucos).

A avó poderia também decidir doar os seus 5 por mil à Associação (como sugerido pela própria carta), que só em “2018, recebeu do Ministério do Trabalho e da Política Social o montante de € 217.506,17, por transferência bancária, como “5 por mil anos 2016-2015”.

É difícil para a avó perguntar-lhe o que acontece aos seus 5 por mil, mas provavelmente ficará satisfeita com a breve explicação contida na carta, segundo a qual o seu dinheiro será usado para “promover as missões marianas, levar a imagem de Nossa Senhora de Fátima aos doentes, idosos, prisioneiros, crianças, etc…” e para “a formação acadêmica e moral de cerca de 250 jovens, especialmente africanos, asiáticos e sul-americanos, e em todas as outras atividades missionárias e caritativas da Associação”.

Mais especificamente, Fra Thiago, que confirma à Business Insider Italy que: “As doações à Associação são usadas para atividades missionárias na Itália, como levar Nossa Senhora aos necessitados, mas sobretudo para manter as vocações de nossos jovens que têm que estudar em nossos centros. Eles estão no Brasil, mas nós estamos construindo um grande na África”. No site da Associação está ativa também a campanha “Adote um jovem anunciador do Evangelho”, porque “atualmente 825 jovens aspirantes aos Arautos do Evangelho provenientes de todo o Brasil, esperando o momento de entrar em um dos Centros de Formação Juvenil dos Arautos, ou em nosso seminário”. Precisam de uma bolsa de estudos para ajudar a suportar os custos da sua formação. Todos sabemos como é importante para a Igreja a formação dos futuros sacerdotes.

É igualmente improvável que o ouvido da idosa tenha sido advertido pelo Vigário das dioceses de Rimini, Dom Luigi, já em 2010, que advertiu os fiéis, sacerdotes e diáconos a não “trocar uma transação comercial com a autêntica fé mariana e o anúncio do Evangelho”. Assim como não se perguntará quanto dinheiro a associação recebe dos boletins postais para doações e como os utiliza. Um relatório que não é dado a conhecer. Apesar de o Irmão Patrizio, membro da Congregação responsável pelo “envio” de milhões de cartas e aparelhos, com 39 anos, de origem brasileira, que está a serviço da Itália há 10 anos, explica ao Business Insider Italy que “tudo está escrito no site”. Mas em https://www.madonnadifatima.org não há vestígios de nenhum relatório. “No entanto – acrescenta – todos os anos enviamos o orçamento, mas apenas para os benfeitores, ou seja, aqueles que doaram dinheiro pelo menos uma vez, porque não é que eles têm que pagar todos os meses …”.

É também o próprio Fra Patrizio que revela com grande tranquilidade como os endereços dos destinatários são regularmente comprados nas bases de dados dos Correios italianos, mesmo que ele não veja como eles podem cruzar os nomes dos recém falecidos, com os de parentes na vida e seus endereços… Poder de NOSSA SENHORA, mistérios da fé e, acima de tudo, da privacidade.

O que é muito claro, porém, é quem está por trás dessa associação com sede perto de Veneza e com a qual a Diocese de Veneza afirma não ter nenhuma relação ou colaboração porque, explica um responsável, “depende diretamente de Roma”. Tudo o que sabemos sobre eles é que eles pedem muito dinheiro às pessoas, porque os fiéis regularmente nos relatam”. Basta ver o colofone do boletim enviado à casa dos colaboradores, onde se especifica que o “Periódico da Associação Madonna di Fatima – Maria, Stella della Nuova Evangelizzazione (…) Contém I.R. www.araldi.org www.madonnadifatima.org Com a colaboração da Associação Internacional Privada de Fiéis de Pontifícios Arautos de Direito do Evangelho, Piazza in Piscinula, 40 00153 Roma Tel. sede operativa em Mira (VE): 041 560 08 91″.

A congregação dos “Arautos do Evangelho”, um movimento espiritual nascido nos anos 60 no Brasil, conhecido pelo uniforme certamente não mortificado usado pelos mais de 3000 afiliados: um hábito branco com uma cruz saliente no peito (“A cruz é dividida em duas cores, vermelho e branco, símbolo do Preciosíssimo Sangue de Cristo e da pureza insuperável de Maria. No entanto, é verdade que muitos vêem na nossa cruz a forma de uma espada, e este aspecto também é rico em simbolismo. De fato, sendo arautos do Santo Evangelho, devemos ser instrumentos integrais da palavra de Deus, que é “viva, eficaz e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; penetra até a divisão da alma e do espírito”, explicou o Padre Carlos Werner, ex-presidente da seção italiana de Arautos) – e botas de jóquei. O mesmo se aplicava às seguidoras.

O iniciador de todo o movimento foi o brasileiro Plínio Correa de Oliveira, católico tradicionalista, reacionário de direita, fundador do movimento integralista “Tradição, Família e Propriedade” (TFP). Na sua morte, o movimento foi dividido em duas seções em luta entre si: a oficial TFP – que foi a marca registrada para os Estados Unidos e Europa – e o recém-nascido “Arautos do Evangelho”, liderado por Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias.

Em 2001, os Arautos foram reconhecidos por João Paulo II como Associação Particular de Fiéis de Direito Pontifício, a primeira reconhecida no novo milênio. Desse Papa receberam também a tarefa de difundir o culto mariano. “Pediu-nos que espalhasse a mensagem de Nossa Senhora, porque depois estava um pouco ‘caída'”, recorda Fra Patrizio. É assim que os Arautos associam o seu nome à “marca” de Nossa Senhora de Fátima, muito (para eles), dado o peso da marca mariana. E, de fato, desde o início do século, os Arautos registraram um verdadeiro “boom” de seguidores, simpatizantes e doações, tanto que hoje estão presentes em 78 países. Depois do Brasil, eles são muito fortes em Portugal e recentemente também na Itália. Em Roma também obtiveram da Diocese a gestão da Igreja de San Benedetto em Piscinula, o primeiro caso de concessão na diocese do Papa de um lugar sagrado e atividade pastoral a uma associação privada de leigos.

Um sucesso, em suma, mas tem mais de um lado negro, incluindo a investigação aberta pelo Vaticano em 2017, após o lançamento de algumas imagens bastante embaraçosas por um antigo seguidor dos Arautos, Alfonso Beccar Varela, então sobrecarregado por casos de direitos autorais trazidos contra ele pelos advogados dos Arautos em um tribunal da Flórida.

Durante o julgamento, Varela declarou: “Eu não nego ter disponibilizado estes vídeos ao público, mas o fiz apenas com a intenção explícita de denunciar a verdadeira natureza desta organização que recruta seguidores e solicita doações fingindo ser uma associação católica devota, mas que na verdade tem outra face oculta… Os chamados “rituais de cura” revelados nos vídeos são “exorcismos” altamente questionáveis.

Nos vídeos você pode ver o guia espiritual Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias lendo e comentando diante de 60 sacerdotes adoradores o “relato” de um exorcismo (que ele fez fora de cada cânone eclesiástico), durante o qual o suposto diabo contou como Plínio Correa de Oliveira “se senta do lado direito da Virgem, ele também se senta num trono e tem todo o poder. Dona Lucilia (mãe de Oliveira) está à esquerda, um pouco mais abaixo”. Imagens que certificavam o que se dizia há anos, que os Arautos seguiam um culto paralelo e secreto (adorando Oliveria e sua mãe Lucilla, à qual Clà Diaz foi posteriormente acrescentada), não permitido pela Igreja Católica Romana.

Mas esses filmes, agora desaparecidos da rede, revelaram sobretudo a idolatria cega dos seguidores, que chegam a acreditar que Plínio Oliveira teria “controle sobre o mundo, porque ele é a ordem do universo”. E novamente: “Plínio está quebrando os computadores das pessoas, para que elas não entrem na Internet”. Mas o melhor ainda está por vir: o fundador também estaria “mudando o clima”, além de preparar um desastre planetário, preparando-se para lançar “um meteorito no mar em frente aos Estados Unidos, no Atlântico e assim a América do Norte desaparecerá”.

Mas há uma passagem em particular que envolve definitivamente os Arautos, que ilustra como: “O Dr. Plínio está acelerando a morte do Papa (Francisco), que morrerá caindo”. Uma morte que, no entanto, acontecerá “no Vaticano”, não enquanto ele estiver fora. Um esclarecimento que desencadeia o desapontamento dos cerca de sessenta sacerdotes presentes na leitura do documento, dado que, naqueles dias, Bento XVI estava empenhado numa visita pastoral à América Latina.

Finalmente, o diabo, ainda segundo o mestre Clá Dias, está agindo para matar aquele que se tornará o próximo Papa – que ao contrário do atual “será bom” -, isto é, Monsenhor Franc Rodè. Uma escolha, a de Dom Rodè, compreensível e desejável do ponto de vista deles, dado que, quando era Prefeito da Congregação para os Religiosos e chefe da Igreja eslovena, Rodè tinha sido um dos mais ardentes “apoiadores” dos Arautos.

No entanto, a probabilidade de que ele realmente se tornaria Papa era muito remota, considerando que o monsenhor tinha sido um forte apoiante do fundador dos Legionários de Cristo, o abusador de crianças Marcial Maciel. Tinha-se então envolvido num escândalo financeiro pelos fundos destinados à caridade, desviados em vez disso para a reestruturação da sua mansão de 475 metros quadrados com vista para o mar (eram os tempos do sótão romano de Dom Tarcisio Bertone em Roma). Finalmente, ele também teve que passar por um exame do DNA para se defender da acusação de ser o pai de um menino alemão corajoso.

Finalmente, Rodè foi um dos principais expoentes da Igreja mais conservadora e retrógrada. Sobre o Papa Bergoglio, declarou à imprensa: “Sem sombra de dúvida, o Papa é um gênio da comunicação. Ele se comunica muito bem com a multidão, a mídia e os fiéis. Uma grande vantagem é que ele parece simpático. Por outro lado, as suas opiniões, sobre o capitalismo e a justiça social, são excessivamente de esquerda. Pode-se ver como o Papa é marcado pelo ambiente de onde vem. Na América do Sul há grandes diferenças sociais e grandes debates sobre esta situação sucedem-se todos os dias. Mas estas pessoas falam muito, mas resolvem poucos problemas”.  Em suma, entre os ritos proibidos, a veneração da mãe morta sentada ao lado da Virgem, as esperanças de desastres celestiais que apagam nações inteiras e as mortes de Pontífices, havia o suficiente para o Vaticano abrir um inquérito.

“Essa história bastante chata, trazida à tona por uma jornalista italiana (o jornalista do Vaticano de “La Stampa” Andrea Tornielli, ed.), terminou bem. A investigação está encerrada hoje. Satanás nos teme e semeia o ódio contra nós, mesmo no Vaticano”, disse-nos Fra Patrizio. Ele não escondeu uma certa frieza em relação ao atual Pontífice: “O Papa nos aprova em nome da Igreja e nós estamos com a Igreja, irmão. Aliás, vem um Papa, vem um Papa, vem um Papa, vem outro Papa… Nós, pelo contrário, ficamos sempre!

Assim, voltando à nossa avó com o boletim na mão, se ela soubesse a quem estava a dar o dinheiro, talvez desistisse de acolher a estátua de Nossa Senhora de Fátima na sala de estar e manter os Arautos fora de casa. Porque é verdade que Satanás conspira nas sombras, mas mesmo os homens não brincam.”

*Tradução