Como era comum no tempo da TFP, os membros dos Arautos do Evangelho continuam usando a expressão FMR para se referirem às suas famílias.

É preciso dizer que quase todas as acusações contra o grupo (seja TFP e agora Arautos do Evangelho) continham referência ao uso da palavra FMR. Isso se vê facilmente lendo as refutações escritas por Plínio Correa de Oliveira disponíveis na internet.

Em quase todos os livros, ele tenta desvalorizar os autores das acusações, analisando seu perfil psicológico. Ele minimiza as acusações e não reconhece nenhum erro na associação por ele fundada.

Isso é uma característica das refutações do Plínio. Nenhuma vez ele admite um erro qualquer e recebe as críticas. Pelo contrário, ele quer destruir a reputação do acusador e escreve uma longa refutação para justificar os costumes dentro de seu grupo. Uma atitude bem pouco evangélica.

Falando especificamente da palavra FMR, Plínio menciona que essa expressão teria sido empregada por jovens membros da TFP como um gracejo e que a direção da TFP teria recomendada não mais usá-la.

Se pode ver que essa recomendação nunca existiu. Foi posto nas refutações para o público, mas no interior do grupo nada mudou.

E os Arautos continuam a usarem a expressão FMR.

O que ela quer dizer? FMR, fonte da minha revolução. Linguagem difícil de entender.

Num dos livros de Plínio, ele defende a opinião de que o mundo moderno seria o fruto de um processo de decadência desde a idade Média. O mundo de hoje seria revolucionário. Esse processo teria começado na Idade Média depois de um pecado chamado por ele de pecado de revolução.

Assim como o pecado original mencionado em Gêneses, outro pecado teria sido cometido no início da Idade Média, o pecado de Revolução, do qual Plínio teria sido isento, junto com sua mãe (Lucília). Como o mundo moderno está imerso na Revolução, as FAMÍLIAS seriam a fonte do pecado de Revolução de seus filhos e filhas, pois os maus hábitos e costumes do membros provém de sua infância na família.

Para combater a Revolução, Plínio quer estabelecer uma Contra Revolução no mundo inteiro. A Contra Revolução quer restabelecer uma ordem social que existiu somente na Idade Média. Assim, os êremos (casas) foram criados para imitar em tudo os hábitos e costumes contra revolucionários do Plínio.

Assim, as famílias são fontes de Revolução(FMR).

Segundo a orientação dos Arautos, é preciso o mínimo de contato para não recair nos maus hábitos da infância e juventude.

FMR, outra invenção do grupo para afastar jovens de suas famílias.