E todas cantando a oração do Espírito Santo entravam em cortejo nas Igrejas ou Capelas das casas dos Arautos do Evangelho, e depois que todas entravam portas e janelas eram fechadas.
O que acontecia dentro desse ambiente todo fechado? Parece até escondido, como se ninguém pudesse saber daquilo.
Era dessa forma que começava a cerimônia que se chama ‘capítulo’.
Essa cerimônia era almejada por todos, porém todos tinham um certo medo de participar dela.
Mas porque medo?
Depois que todos já estavam em seus lugares era rezada um oração a qual dizia sobre a escravidão a Mons. João, ao Dr. Plínio e a Dona Lucília, oração que dizia que não valemos nada, que não somos nada sem os Fundadores e que no mundo só tem pecado e ruindade, falava também sobre o desapego aos familiares e ao mundo.
Será que isso pode ser chamado de oração?
Depois disso tudo, o coração começava a bater mais forte e as pernas chegavam a ficar trêmulas. Essa era a hora em que a encarregada chamava alguém pelo nome para se prosternar diante de todos que estavam lá e depois que a pessoa já estava literalmente jogada no chão, começavam os juízos, todas as pessoas presentes nessa cerimônia podem se levantar e começar a falar tudo o que acham sobre essa pessoa que está sendo exposta. Falavam coisas que já tinham visto ela fazer de errado ou até mesmo falavam sobre algo que nem a própria pessoa sabia que tinha feito. Falavam o que queriam para humilhar cada vez mais a pessoa que estava simplesmente jogada no chão sem poder se levantar e muito menos se defender. Eram horas e horas de humilhação.( Eram distribuídos até papel e caneta para escrever caso fosse muita coisa assim não esquecia de falar nada.)
Quando a pessoa se levantava se sentia um lixo, um Nada, se sentia mal por dias e dias e com isso se cobrava cada vez mais para fazer as coisas com mais perfeição e também o que mais falavam que precisava mudar era que tinha que se entregar mais nas mãos dos Fundadores, amar eles cada vez mais e claro que diziam que tinha que se desapegar as coisas do mundo e da família com certeza.
Depois de tudo ainda passavam um penitência para a pessoa para que ela cumprisse, por todos os erros que foram falados nessa cerimônia.
Mas para que tudo isso? Para que tanta humilhação? Para que fazer as pessoas se sentirem tão mal assim?
Pensando agora, imagine o mal que isso fez às pessoas que ainda passam ou já passaram por Isso?

Imagine o quanto, cada um que já se levantou daquele chão depois de tanto julgamento, se culpou, se cobrou, se questionou por tanta pressão?

Imagine se agora, nesse momento, em que está lendo isso, seu filho ou sua filha, a pessoa que você mais ama no mundo, que faria tudo por eles, estiver passando por isso agora?

Estiver no chão agora escutando de muitas bocas julgamentos do que fez e até do que não fez, sem poderem se levantar para se defender ou até mesmo discordar.
E isso não acontece uma ou duas vezes, pode acontecer até mais, e com a mesma pessoa.
Então, é isso que vocês desejam para as pessoas que vocês mais amam? Vão deixar isso acontecer? mesmo vocês sabendo dos danos, do mal que pode ocasionar para essas pessoas que passam por isso?
Sendo uma pessoa que já passou por isso, sei como é ter uma experiência dessa. Não desejo isso a ninguém, é um sensação horrível passar por tudo isso. Isso é algo que fica marcado para sempre até hoje pensando nisso, sinto aquela sensação horrível, de ser um nada, de não ter coragem para nada. Então enquanto há tempo não deixam que mais ninguém passe por isso, pois as consequências ficam para sempre, infelizmente.