O ÓDIO AOS PAIS

O afastamento familiar se torna algo comum dentro dessa instituição, tão comum que se sentimos vontade de vir embora, muitas vezes, estamos sabugando (não perseverando na vocação que Nossa Senhora nos deu), começamos a ver nossos pais com olhar de indiferença… No começo por sermos crianças isso não é tão forte, mais conforme o tempo passa o comportamento rebelde e rude se torna algo visível.
Morei nessa instituição e sai contra minha vontade, porque minha mãe me retirou, várias vezes desejei a morte dela para poder voltar aos AE, meu ódio contra ela, era algo inexplicável e a cada dia aumentava.
Uma instituição que infelizmente usa a Igreja Católica, as chaves pontifícias e por trás das paredes de cada castelo construído por eles, há muito coisa escondida… É certo uma instituição pegar crianças menores de idade dizer que ela tem vocação? Como um menino (a) de 10 ou 12 anos saberá dizer o que realmente quer? O que uma criança mais ama na vida é poder brincar, se divertir e principalmente ser livre debaixo dos braços dos pais… Mas quando essas eremitas aparecem oferecendo uma bolsa do projeto futuro e vida para esse infanto que mal começou sua juventude, essa concepção de mundo e liberdade muda, e as mudanças não demoram muito e vem com radicalidade…
Porque há tanto segredo dentro das salas daqueles castelos? Se dizem que é algo sacral, santo… Um dos pontos que nos faz pensar é que uma ordem religiosa não tem nada a esconder, mas dentro dessa instituição muitas coisas são ocultas. Mas, como diz o evangelho “Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz”.
Esperamos confiantes a resposta do Vaticano pra que essas almas inocentes e iludidas com o luxo sejam libertas e trazidas para o lar familiar.
Ass. Ex Arauta

8 respostas em “O ÓDIO AOS PAIS

  1. Como é importante ouvir relatos como esses para tirar dúvidas sobre o que está por de trás da fachada dos Arautos. Quem olha, não acredita que eles conseguem fazer isso com nossos filhos. Para mim, a maior decepção é olhar para aquelas irmãs tão caridosas e saber que depois que virava as costas, elas incentivavam minha filha a me ver como revolução. Pensar que ela tinha vergonha de querer ligar para mim, para não ser vista como quem não tem vocação. Triste é pensar que essas irmãs fazem o mesmo com seus pais porque foram manipuladas da mesma forma. Felizes os pais que tem a oportunidade de saber a verdade para agir antes da maior idade.

    Curtir

  2. Desejar a morte da própria mãe, que triste. Uma coisa que sempre me chamou a atenção nos Arautos é que tem muito segredinho mesmo. Muitas reuniões fechadas, muitos arquivos que os terciários mostram no celular deles, mas não podem mandar pra vc, muitos códigos que usam entre eles, abreviações etc. Agora estou entendendo quem eles realmente são.

    Curtir

  3. Quando meu filho saiu dos Arautos ele era chamado de sabugo, e eu nem entendia!!! Eles viviam na porta da escola dele, e meu filho ligava desesperado pra eu ir buscá-lo, se escondia dentro da escola e saia por outra saída pra eles não o verem, corria deles como o diabo corre da cruz!!! Até que um dia o encontraram numa parada de ônibus perto da minha casa, na verdade deviam estar vigiando ele, aí ele acabou tendo que conversar com eles, é dai por diante começaram a forjar encontros e mandar recados dos padres, fotos dele com o João Clã e uma carta de três folhas de um colega, que dizia o quanto sentia sua falta e que sabia que ele voltaria, até mesmo eu fiquei cismada pensando que meu filho deveria voltar.
    Mas graças a Deus tudo veio à tona, e agora não resta a mínima dúvida do que são os Arautos do Evangelho. Uma instituição formada por pessoas alienadas a uma ideologia, doutrinadas por um homem (João Clã) que é considerado um santo vivo, adoradores de dois falecidos, tbm considerados santos(Plínio e sua mãe Lucília), que inclusive “mandam mensagens do além” para alguns eremitas que dizem ter o dom de recebê-las, as quais são entregues a outros eremitas, que consideram aquilo como um prêmio e ficam cada vez mais bitolados. São tantas articulações para incrementar a vida daquelas pessoas, que não da nem tempo delas sentirem falta das famílias, que tbm são atacadas pelas manobras que fazem nossos filhos perderem a consideração e o amor por nós, chegando até ao menosprezo.
    Mas todos esses mistérios não estão mais trancados lá dentro!!! Eles se esternaram de várias formas. E com certeza um dia as muralhas vão cair!!! Não tem poder, dinheiro, influência, lavagem cerebral que vá resistir ao poder supremo que é de DEUS!!! Se o Vaticano não da resposta não nos preocupemos!!! A verdade vira à tona naturalmente!!! Não é só aprovação da igreja que sustenta os Arautos. Vamos resgatar nossos filhos daquela masmorra!!! Eles tbm sustentam tudo aquilo.
    Não basta ter fé, tem que acreditar🙌🙌🙌

    Curtir

  4. “Não pensem que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada.
    Pois vim para fazer que ‘o homem fique contra seu pai, a filha contra sua mãe, a nora contra sua sogra;
    os inimigos do homem serão os da sua própria família’.
    “Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim;
    e quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim.
    Mateus 10:34-38

    Curtir

    • Oi Odete, tudo bem? Vamos conversar um pouco sobre esses versículos bem bacanas que você colocou aqui e sobre o conteúdo e contexto trazidos por essa ex arauta nesse relato? Adianto-me aqui para uma resposta positiva. Eu também adoro intertextualidade, sabe? Adoro trazer frases da bíblia ou de filósofos para os contextos diversos que a minha vida, cheia de reviravoltas, como é característico do viver, toma.
      Vamos primeiro falar do contexto do trecho que você colocou aqui , Jesus diz essas palavras quando chama os seus apóstolos e confere a eles a missão de levar a paz e o nome de Jesus às ovelhas perdidas de Israel. Aqui Jesus diz que não será fácil, que os apóstolos serão perseguidos e mandados ao júri de reis e governadores, que irão açoitá-los e condená-los à morte. Diz que tenham coragem, pois o nome de Jesus causa incômodo aos que não se alinham com os mandamentos de Deus. Diz ainda que nada que está obscuro assim fica para sempre, tudo vem à luz em algum momento. Diz que não devem negar Jesus, nem por sua própria família, nem por ninguém, pois quem negar a Jesus diante dos homens, será negado por ele diante do Pai.
      O trecho solto assim faz parecer que Jesus manda odiar aos pais, o que não faz sentido nenhum com a realidade. A guerra de que Jesus fala aqui é da cruz que quem não nega a verdade carrega, pois, o nome de Jesus em um mundo de hipocrisia traz perseguição aos pregadores da verdade.
      Em relação a essa segunda parte, “Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim”. Aqui Jesus fala sobre aceitar as cruzes que a vida dá, da entrega a ele, do segui-lo. Belíssimo. Então, primeiro, eu imagino que a senhora tenha a compreensão de que seguir Jesus e abraçar a cruz não é somente em relação a vida religiosa, por que todos somos chamados a seguir Jesus todos os dias, cumprindo seus mandamentos, aceitando os sofrimentos que ele dá, sejam doenças, dificuldades financeiras, provações de fé, ou inclusive saudades de um filho que se torna religioso, mas principalmente de aceitar a verdade e leva-la às ovelhas perdidas, por mais dura que seja essa jornada. Muito lindo isso, e imagino que a senhora também deva concordar com a beleza, tanto que colocou aqui para gente refletir. Mas vamos um pouco mais a fundo. Nesse trecho Jesus não diz que para abraçar a cruz e amá-lo é preciso odiar os pais e desrespeitá-los, Ele apenas estabelece prioridades, Deus em primeiro lugar, não é mesmo? Até porque seria bastante contraditório o próprio Deus desmentir as Leis que estabeleceu para os homens, não acha? Enquanto católica, igual eu e a ex arauta que aqui deixou o seu relato, imagino que sim.
      Explorado um pouco o trecho, vamos ver um pouco do contexto que a ex arauta trouxe aqui. Ela conta um pouco de como o amor e as suas obrigações para com a família foram se tornando cada vez mais escassos depois que ela entrou nos Arautos. Aqui a mãe dela não se queixa da opção de seguir vida religiosa da filha, mas retira-a para atender sua obrigação de mãe de não permitir que sua filha caia no engano e no sofrimento alimentado pela Instituição Arautos do Evangelho. A crítica está voltada ao crime de alienação parental cometido pela entidade , que entre outras coisas, dificultam o contato dos pais com os seus filhos, não repassam ligações, violam o segredo de correspondência e sobretudo, incitam crianças de 6 anos a odiarem seus pais. A senhora deve concordar que alguém que incita o ódio não está seguindo os passos de Jesus, que teve toda a sua vida dedicada ao amor. Diante disso, coloco aqui o questionamento, ser um Arauto, que despreza a própria família e incentiva crianças a reproduzir o seu ódio, é de fato amar a Deus sobre todas as coisas e abraçar uma cruz designada por Deus? É essa a guerra que Jesus veio trazer em nome da Verdade? Não te parece contraditório dizer que algo que vai totalmente contra o que Jesus pregou seja amar a Deus antes de qualquer outra coisa, ou seja a Verdade que traz perseguição aos escolhidos de Jesus? Ao meu ver, amar a Deus sobre todas as coisas e levar a verdade às ovelhas desgarradas é reproduzir amor ao próximo e cumprir os seus mandamentos, dos quais vale ressaltar nesse contexto o 4°.
      Outra coisa que quero destacar aqui, ainda sobre o mesmo trecho, é o fato de que em momento nenhum a ex arauta relata oposição da mãe em relação a escolha de torna-se religiosa a filha, não é isto que está em jogo. Não tenho dúvida de que o sonho de muitas mães que permitiram que suas filhas entrassem nos Arautos era ter uma filha freira, como era o sonho do meu pai. Acontece que, a instituição Arautos do Evangelho usa da faixada da Igreja apenas para atrair os jovens e encantar as famílias, sendo que, lá dentro, depois de já conquistados jovem e família, começam a pregar ideias que não são Católicos, como o ódio aos pais, o ódio a todos que não são Arautos, o luxo dentro do voto de pobreza e sobretudo, tiram o título de “Caminho, Verdade e Vida” de Jesus e conferem-no à trindade Plínio, Lucília e João Clá. Inclusive, é possível ver ainda aqui nesse blog o relato do desinteresse das meninas por irem à missa de outra paróquia quando estão em casa, o que é um indicador nada positivo de religiosidade, o que não se espera de algum religioso que “não nega a Jesus”.
      Ninguém aqui neste blog busca apartar as pessoas do caminho de Deus, pelo contrário, lutamos para que os lobos não passem por carneiros usando o nome da Igreja e de Jesus para propagar o ódio e o sofrimento.
      Diante disso, temos que repensar as posições desse combate ideológico. Aqui, por meio de relatos, as pessoas têm a oportunidade de relatar suas experiências de forma respeitosa e todos mostram-se dispostos a tirar qualquer dúvida que possa surgir, não escondem os comentários negativos. Da parte dos Arautos vê-se poucas ou nenhuma explicação, segredos que não podem ser revelados e comentários opositores apagados. Se a questão aqui é a perseguição devido a pregação da verdade, como trabalhar com bases verdadeiras sem transparência do que de fato acontece dentro das muralhas de pedras dos castelos dos Arautos? Será que nessa situação a guerra deve ser mesmo contra a família?

      Curtir

  5. Muito triste… desejar a morte da propria mae… mas nos maes que fomos enganadas com a vocação sabemos que isso vinha de uma força muito maior que voces mesmas!!! E o importante que de todad e todos que foram tirados de la o amor venceu todo esse odio pelos pais e pela familia.. Que Deus ajude nessa investigação e que a resposta do Vatica venha logo!!!!

    Curtir

  6. Foram nove meses de “projeto futuro e vida”, mais seis semanas interno que passou a frequentar quando ganhou a “bolsa para o colégio” Nos pequenos detalhes percebi que estava perdendo meu filho. O Abraço apertado, carinho já não existia. Ontem primeira comunhão dele (na verdade a segunda pq já havia feito aqui fora) me avisaram em cima da hora, chegando la encontrei meu filho com olhar triste, olhos inchados provavelmente por chorar na noite anterior, extremamente cansado, física e mentalmente pois ja não sabia o que pensar. Me disse: Mãe vc me fala isso eles me falam outra coisa, me ajuda. Pedi muito a Deus forças pra conseguir tirar ele desse lugar, que ele não saísse me odiando pq já haviam pintado para ele a “inferno da vida mundana de nós todos aqui fora”. Ele está tranquilo e aliviado sobre meus cuidados. Feliz por ter salvo ele, triste por tantos que ainda não enchergam toda a verdade!

    Curtir

  7. Pingback: NÃO SE TRATA DA ESPADA PELA ESPADA | EXAE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s