Sou o pai de duas meninas. Uma de 10 e outra de 7 anos de idade. Posso confirmar o que este blog afirma sobre as atividades de recrutamento de adeptos que os Arautos do Evangelho realizam nas escolas do Brasil. A meu ver, é um modelo que também se usa em outros países. Estas atividades são feitas de forma pública, e encontram-se promovidas nas próprias publicações da instituição.

Lamentavelmente, os diretores, coordenadores e professores não conhecem as táticas destas “seitas católicas”, e expõem nossos filhos à propaganda realizada por elas. No meu caso particular, dou fé de que uma parte da “atividade cultural” dos Arautos no colégio das minhas filhas foi a de fazer propaganda do clube “Futuro e Vida”, divulgando também material de marketing da sua organização.

Ao ficar sabendo do acontecimento quando fui buscar minhas filhas na escola, fui à escola para fazer uma queixa formal, que continuei com uma carta à Diretora do Colégio e que compartilho com os leitores deste Blog, para que possa ser usada como modelo em situações parecidas.

Não podemos permitir que crianças, algumas em sua tenra infância, sejam expostas a qualquer apresentação de marketing religioso ou ideológico, sem o consentimento prévio dos seus pais. É totalmente inadmissível que uma escola permita que qualquer organização (e não somente os Arautos do Evangelho) pergunte dados pessoais das crianças ou distribua propaganda de marketing sem consentimento dos pais. Sei de casos onde os Arautos conseguem das crianças mais dados, como endereço, telefone, etc.

Se Você é pai de um menor, sugiro que atue de forma responsável e vá à diretoria do seu colégio, perguntando se este tipo de atividade está proibida nessa instituição educativa. Se não estiver, sugiro que anuncie por escrito que não contam com a sua autorização para expor os seus filhos a este tipo de propaganda oculta por parte dos Arautos ou qualquer outra instituição.

Por Thiago de Almeida