Venho por meio desta, relatar o que esta acontecendo com minhas filhas.

Elas entraram nos Arautos do Evangelho em São Paulo, no Cenáculo, através do projeto que eles faziam aos finais de semana no ano de 2015. Iam todos os finais de semana, participavam das atividades e no domingo retornavam para casa.
Na época tinham 11 e 12 anos. Com o passar do tempo chegando próximo ao fim do ano, as Irmãs responsáveis Thais e Maria me ligaram informando que elas tinham ganhado bolsa para estudar no colégio, porém teriam que morar lá. No começo, não aceitei a ideia, mas como elas estavam muito felizes e queriam muito… e por ser uma ordem religiosa que “eu achava que era muito boa “, acabei deixando. As irmãs foram muito simpáticas e atenciosas comigo.
E assim, começaram a morar e a estudar em janeiro. Aí, a situação acabou invertendo. Elas moravam lá durante a semana e poderiam vir para casa no fim de semana. Bom, no começo, era novidade e estavam felizes e começaram a não querer vir mais pra casa nos finais de semana. Cada hora era uma desculpa, inventavam que ia ter algo no fim de semana e acabavam não vindo pra casa. Eu comecei a notar muita diferença no comportamento delas. Não queriam vir mais pra casa, não usavam mais outras roupas a não ser a dos Arautos, não queriam mais o convívio com a família, (tios, primos e nem com a irmã de 3 anos ). Cheguei a ir lá no Cenáculo conversar com a Irmã sobre esse comportamento delas, mas mais uma vez fui enganada, pois falavam que iriam conversar com elas e elas teriam que me respeitar. E foi se passando o tempo e a distância com a família, a falta de respeito comigo só aumentando. Uma de minhas filhas estava fazendo o curso de crisma, e no dia, sim, no dia da cerimônia me ligaram pra avisar que teria a celebração da crisma dela (parecia que não queriam que eu fosse), saí correndo do meu serviço eu fui até o Thabor em Caierias pra ver a cerimônia, pois pra mim era muito importante ver. Cheguei lá e quase não tinha mães. Acredito que muitas moravam longe e como avisaram em cima da hora, não deu pra chegar a tempo. Eu mesma cheguei bem atrasada. Bem, foi uma das minhas maiores tristezas ao ver aquilo. O Joao Clá, que estava fazendo a cerimônia, ao chamar as meninas ele dava tapa na cara (e não era fraco não por que fazia eco na igreja). Fiquei horrorizada, chorei muito e me desesperei na hora. Uma das Irmãs que estava do meu lado me chamou e falou assim: ”Dona, calma! Iisso é normal, e lindo… Eu, indignada falei lindo é normal? Onde? Já fui crismada e nunca tomei tapa na cara. Aquilo me marcou demais, e a partir daí comecei já a enxergar os Arautos de outro modo… Sabia que aquilo já estava fazendo mal pra elas e elas não enxergavam.
Quando saíram as informações dos vídeos na internet, tomei a decisão de tirar e salvar minhas filhas… Fui até a casa Mater Castissima e tirei elas de lá, sem avisar que iria buscar. Isso foi no dia 30/06/2017, e até agora estou num sofrimento muito grande.
Minhas filhas não aceitam a saída desse lugar. Por várias vezes me xingam, falam que sou o demônio, que não querem viver em sociedade, que eu não sou a mãe delas, e inclusive já me desejaram a morte por várias vezes. Pois elas acham que eu morrendo o caminho acaba sendo livre para elas voltarem para lá. Enfim, elas não conseguem se comunicar com o mundo aqui fora, vivem dentro do quarto o dia todo com fotos de Dona Lucilia, Plinio e João Cla… Não conseguem frequentar escola comum… Falam que todos nós aqui somos bichos, que todos são pecadores e vamos para o inferno. Estão passando por psiquiatras e psicólogos semanalmente, inclusive eu que sou a mãe, pois estou muito abalada e isso acabou me gerando vários problemas emocionais e de saúde. A psicóloga teve que dar um laudo pra escola, pois elas não conseguem frequentar.

Esse lugar que eles falam tanto que é de Deus, se escondem em baixo daquelas roupas, não passam de uma seita, que querem acabar com a família, pegam crianças que são vulneráveis e plantam o que eles querem na cabeça delas, colocam a família como a pior coisa do mundo, minhas filhas vivem falando que já estou condenada ao inferno, por ser separada…
Peço a ajuda de todos vocês, para que salvem aquelas crianças e todas as inocentes que estão nesse lugar.

Sem mais;

Ass. Mãe de ex Arautas