Exmo. e Revmo. Cardeal Braz de Aviz;

Venho, por meio dessa, lhe pedir que tome ciência em relação ao que foi divulgado recentemente como conteúdo interno dos Arautos do Evangelho (AE). Sem entrar no mérito da forma que foi feita a divulgação, é preciso que se tenha em mente o risco que há em não levar a sério o conteúdo difundido. Como igreja, preocupa-me o fato de haver pessoas de reta intenção que verdadeiramente buscam a santidade por uma ordem que, apesar de bons frutos de apostolado, apresenta problemas graves – principalmente doutrinais. A Igreja precisa fazer alguma coisa.

Os vídeos lançados no mês de maio em uma plataforma de mídias sociais deixou público uma boa parte do que se pensa no ambiente interno – certamente divulgado por alguém de dentro, que já percebeu que há questões sérias a serem resolvidas. Há alguns vídeos que apresentam “orações de maledição”, e outros com reuniões com supostas “revelações” do demônio, feitas durante um exorcismo, acerca da instituição e da pessoa do fundador, M. João Clá Dias.

O conteúdo dessas reuniões compromete não apenas a instituição AE, mas a Igreja Católica – gravemente. É inaceitável (e triste!) que um grupo de sacerdotes, junto ao fundador João Clá Dias, trate de assuntos e aprovem teorias incompatíveis com o ensinamento de Cristo e com a doutrina da Igreja Católica. Para ilustrar o que se tem sido dito, em uma parte de um vídeo – em que um sacerdote lê revelações de um exorcismo -, um demônio supostamente revela que o Papa Francisco busca a glória, serve ao demônio e o outro fundador dos Arautos, Dr. Plínio Corrêa de Oliveira, já falecido, trabalha para que o papa morra. Tudo isso é dito e recebido com aplausos e exclamações dos sacerdotes presentes. Dr. Plínio supostamente também é capaz de mudar o clima, mexer na internet e esmagar a cabeça de satanás – como teria afirmado um demônio em um exorcismo. Nenhum sacerdote duvida, nenhum protesta o que é falado.

Em outra, afirma que, para os membros dos AE, é preciso que tenham: “Dr. Plínio na doutrina, Dona Lucília no agir e Monsenhor João na vontade”, tomando como base e invocando nomes de pessoas que, por mais santas que tenham sido em vida, não foram beatificadas pela Igreja. O conteúdo todo é focado nessas três pessoas, que, como já é bem sabido para quem frequenta os AE, recebem uma atenção para além do que se esperaria de apenas fundadores.

Além disso, outras revelações exaltam seu fundador, João Cla Dias ,dizendo de “seu papado”, de seu novo método de exorcismo e que teria sido escolhido para o Reino de Maria. Aparentemente, o demônio do exorcismo relatado detesta a água que passa pelas mãos de João Clá Dias, mas até pede para beber água benta. E mais: o rito de exorcismo da igreja é um “descanso para o demônio”. O bom mesmo é o rito do seu fundador João Cla Dias, com muito mais poder sobre as coisas.

Basta ver os vídeos para entender que é preciso, urgentemente, que a Igreja intervenha de modo a reordenar ideias e purificar o que deve ser purificado. Os Arautos têm um apostolado muito bonito, é claro. Já aproximaram muitas almas de Cristo, com as missas, belos coros e devoção à Nossa Senhora, é verdade. Há coisas boas e frutuosas nos AE, sim. Mas é preciso buscar alguma solução para ajudar corrigir o que há de errado, para a maior e verdadeira glória de Deus.

Peço, por caridade, que pense no número de fiés que estão entregando suas vidas para uma vocação que se mistura com uma desordem doutrinal, junto a um culto de veneração ao seu fundador. São centenas de jovens, religiosos, padres e famílias – todos eles precisam ouvir a voz de verdadeiros pastores para que possam ser reconduzidos à Verdade, que é Cristo: o único que reina, que deve ser glorificado e que tem poder sobre todas as coisas.

Agradeço desde já a atenção. Creio que o Espírito Santo irá lhe guiar para agir em nome da Santa Madre Igreja, que tem a missão de apascentar e zelar pelas suas ovelhas.

Ass. Mãe de ex Arauto